WhatsApp

GA4: o que mudou e quais os principais ganhos?

O GA4 ou Google Analytics 4 será a nova “nave mãe” das informações do seu negócio. Quais são os ganhos, por que é preciso atualizar? A quem posso pedir socorro? São muitas as dúvidas existentes e que ainda vêm nessa jornada do profissional de marketing digital, o que não podemos deixar passar é o prazo dessa virada de chave.

Os usuários do Google Analytics, muito provavelmente, já devem ter visto ou terem sido notificados sobre a descontinuação da Universal Analytics deixará de funcionar no dia 1 de julho deste ano. O mesmo acontece para a versão paga (360), porém, essa versão só deixará de funcionar no dia 1 de julho de 2024. Todas as antigas propriedades do Google Analytics vão ser descontinuadas e no lugar chegará o Google Analytics 4 (GA4) que trará as suas novas funcionalidades.

porque mudar se estávamos acompanhando?

São muitos os motivos da mudança: novos hábitos, mudanças na forma de navegar, melhores experiências no mobile, ascensão dos apps, LGPD, machine learning, integrações, são alguns dos motivos que podemos destacar. Quem é da área de marketing digital sabe conhece bem que as mudanças e atualizações fazem parte da regra do jogo. Além disso, quanto mais cedo nos adaptamos a mudanças, melhores serão os frutos e as experiências que podemos colhe nesse processo.

O que mudou do Universal Analytics para o GA4?

Mudou bastante coisa, não só no visual da ferramenta, mas também na mecânica, nos bastidores e no tratamento dos dados de agora por diante. Logo abaixo vamos conhecer os principais pontos que separamos para irmos analisando em conjunto:

A segurança e a privacidade dos dados

O Google visando seguir a risca as melhores práticas da internet traz na versão do GA4 uma maior segurança e a privacidade em relação aos dados aqui coletados. Desde agosto de 2020, quando o Brasil adotou em definitivo a LGPD (Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais) muitas empresas tiveram que se adaptar às novas normativas para não sofrerem nenhum tipo de punição legal por mal uso ou uso indevido de dados para fins não autorizados. 

Incorporar a segurança e a privacidade dos dados no Google Analytics 4 é um grande salto positivo, seja na experiência de navegação de sites ou para os usuários quando utilizam seus aplicativos. 

Os cookies de terceiros não serão mais coletados

Cookies de terceiros não serão mais coletados.

Esse ponto é importante ser frisado: até o momento, o GA4 não deixará de coletar dados de cookies, porém, os que são de terceiros, sim, esses vão deixar de nutrir a ferramenta. Porém, a tecnologia dessa nova versão conseguirá monitorar o comportamento dos usuários coletar sem depender tanto dos cookies.

De maneira bem simples, cookies de terceiros são códigos ou arquivos capazes de coletar informações pessoais de modo indireto. Esse é um ponto dificilmente impossível de ser dissociado da LGPD. Navegadores como Safari e o Mozilla já possuem restrições com relação aos cookies de terceiros, coisa que o Google Chrome ainda vai implementar nesse ano de 2023. 

Agora imagine depender desses dados e de repente o navegador não coletar mais essa informação? Não é atoa time de engenharia do Google já está nesse processo de virada de chave não somente com o Google Analytics, mas com todos os produtos que compõem o enxoval Google. 

Monitoramento do Comportamento em multiplataformas

Maior Integração entre canais.

Em tudo que o mundo evoluiu, o mobile e os apps ganharam protagonismo nos últimos anos. Consequentemente, os recursos anteriores do Google Anaytics eram pensados para uma navegação em canal desktop. A jornada de consumo das pessoas mudou e essa era uma dor do GA antigo e solucionado no GA4.

Com o Google Analytics 4 é possível concentrar diferentes canais em um único espaço, com maior inteligência de dados para gerar relatórios e realizar análises. 

Inteligência Artificial em favor dos dados

Inteligência Artificial para o Google Analytics 4.

Em tempos de ascensão do metaverso e do ChatGPT, nada mais coerente que o Google Analytics 4 já se preparasse para esse momento que estamos. O GA4 conta com a tecnologia de Inteligência Artificial resultante no Machine Learning que dará insights e recursos para campanhas definitivamente poderosos.

Com o machine learning o GA4  poderá aprender mais sobre o comportamento dos navegantes de sites ou usuários dos apps. Com o passar o tempo, a própria ferramenta perceberá variações de procuras e demandas a fim de gerar insights preditivos para os web analytics sobre esses comportamentos. 

Outra possibilidade seriam os públicos preditivos, dados esses que podem ser exportados com informações sobre o público comprador ou ainda um público que visitou uma determinada semana, por exemplo. Dados como esses podem ser utilizados em campanhas do google ads.

Como configurar o GA4?

O próprio Google possui um artigo que guia o web analytics a fazer esse processo. Se você tem o acesso à conta Google Analytics e o acesso ao Google Tag Manager na propriedade da empresa, você tem todas as ferramentas para fazer os primeiros passos da instalação da ferramenta. 

O passo a passo é simples e vamos detalhar um pouco mais abaixo:

  1. Criar ou acessar a conta do Google Analytics;
  2. No menu lateral do GA, clique na engrenagem e acesse o painel administrador;
  3. Você precisará ter o acesso de administrador para criar uma propriedade. Na sequência, vá até a coluna Propriedade clique em “criar propriedade”
  4. Insira o nome da propriedade, selecione o fuso horário e a moeda que será utilizada nos relatórios. Aperte próxima, selecione a categoria e o tamanho da empresa que você está configurando. Aceite os termos e feito!

Próximo passo é configurar o fluxo de dados coletados no GA4, e ai você pode configurar tanto o site como o aplicativo:

  1. No menu da propriedade que você acabou de fazer, clique em “fluxos de dados” e depois em “adicionar fluxo”;

Site

  1. Insira o seu site seguindo esse modelo: seudominio.com (sem https, sem as barras, o domínio raiz do seu site);
  2. Habilite ou não a medição otimizada (responsável por coletar dados, visualizações e eventos do seu site). O próprio Google recomenda que você habilite esse campo;
  3. Clique em criar o stream;

APP

Ao adicionar o fluxo de dados do app, o próprio GA4 cria um projeto no Firebase e o fluxo correspondente. Todos esses dados são integrados automaticamente a sua propriedade.

  1. Coloque o ID do pacote IOS ou nome do pacote Android, o nome do app. Caso seja via IOS, insira o ID da App Store. Clique em Registrar app;
  2. Clique no botão próxima, realize o download do arquivo para configurar o app no GA4;
  3. Clique novamente em próxima, adicione o SDK do GA4 para o Firebase ao app;
  4. Mais uma vez, clique em próxima, execute o app e verifique a instalação do SDK. Verifique se a comunicação com os servidores do Google estão funcionando, e aperte concluir;

Se mesmo assim você ainda tiver dificuldades, o próprio Suporte do Google ADS possui um suporte que pode guiar esses passos com você. Para configurações mais avançadas, caso sua conta seja elegível aos critérios do Google, você poderá contar com um time especialista de tags que fará com você todos os testes para deixar sua propriedade devidamente configurada!

Compartilhe essa postagem:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *